• Erika Xavier

SOS Candidíase

Muitas mulheres já sofreram com candidíase e é bem comum que isso aconteça de forma recorrente. Todo mês vem aquela irritação na mucosa vaginal e na vulva, coceira, ardência, dor ao urinar e até dor na relação sexual.


O principal culpado é o fungo Candida albicans. Quando o combo imunidade, flora bacteriana e pH vaginal estão bem, a candidíase não tem espaço para se instalar. Mas basta um desses sair do eixo, que ela pode aparecer. E alguns hábitos do dia a dia como roupas apertadas, calcinhas de material sintético, roupa úmida, má alimentação e estresse facilitam o aparecimento da candidíase.⁣ Quando analisamos ela através da visão da ginecologia emocional, a candidíase tem relação com o medo de se entregar e falta de confiança, além de uma necessidade de controle constante. Somado a isso, a insatisfação com o parceiro ou com a vida sexual também podem colaborar com o quadro.⁣ O tratamento convencional da candidíase costuma ser feito através de medicação antifúngica, porém isso só resolve no momento. Antes de tudo precisamos rever alguns hábitos como higiene, vestuário, alimentação e controle do estresse como forma de prevenção: - Não durma de calcinha; - Use calcinhas de algodão; - Não fique com roupas molhadas como biquíni e maiô por muito tempo; - Evite o consumo de açúcar e farinha branca; - Faça meditação; - Tenha um sono de qualidade. E quando a candidíase já se instalou? O que pode ser feito além do antifúngico? Sessões de acupuntura podem aliviar a coceira, irritação e dor. Uma boa opção para fazer em casa são os banhos de assento e é importante realizar a troca da calcinha de 2 a 3 vezes durante o dia. ⁣Tem uma amiga que sempre sofre com Candidíase? Compartilha esse conteúdo com ela. Dra. Erika Xavier

1 visualização0 comentário